"Vivências". A falta de palavras serão compensadas pelas imagens. Assim é…espero

Castro Laboreiro

Se o céu é para cima, dizem… por certo andará perto de Castro Laboreiro.

Quem não conhece, dirá que alguém se andou a divertir a colocar estrategicamente, pedra, sobre pedra. Já não há casas com telhados de colmo. Agora está mais aberto para o turismo, está mais moderno.
Quem cá vier e não pensar em almoçar por aqui, não venha ao Domingo.Garanto que fica doido. O perfume do cabrito assado paira por todo o lado, é de babar. Embora já cá estivesse várias vezes, foi a primeira vez que visitei o castelo. Não é fácil lá chegar, mas vale a pena a subida. Mais uma vez as fotos não conseguem fazer jus a tanta beleza.

Clique sobre o álbum. No ecrã seguinte, no cimo à esquerda, clique “ver tela inteira”

Castro Laboreiro
Anúncios

7 responses

  1. Bonito, pena os tais telhados estarem a desaparecer…Agora o cheirinho é que deve ser também de encher a alma e os sentidos.Abraço

    18/07/2010 às 22:23

  2. Lolipop, quem conheceu há uns anos Castro Laboreiro, por certo terá dúvidas no actual panorama.Eu gosto do actual, mas o antigo era mais rústico. Enfim gosto mesmo, continua tão belo que até dói.Os aromas que pairam no ar, tílias, cheiro a terra quente, e os assados de cabrito, autenticas miragens.Abraço doJF

    19/07/2010 às 22:32

  3. Caro Amigo José,Que pena que Deus dê as nozes a quem não tem dentes! Não estranhe esta exclamação, explico.Em fins da primavera de 1967, uma das provas escolares que me deram foi ser guia da visita ao Minho e, nomeadamente, Castro Laboreiro, sobre o qual tive de falar e responder a perguntas de colegas e professores (perto de meia dúzia) durante os últimos quilómetros de aproximação e no local. Não imagina o trabalho de pesquisa que tive de fazer para dizer coisas acertadas e aguentar-me no diálogo. Não foi fácil encontrar bibliografia e muito menos imagens. Hoje deparo com este riquíssimo manancial que, nessa altura, me teria sido de grande ajuda, e me permitia antever o que ia observar.Hoje já não tenho uma igual necessidade (dentes) para usar esta riqueza (comer estas nozes).Muitos parabéns pela abundância de pontos de vista bem aproveitados e, como já estamos habituados, pela qualidade das imagens que nos dá.Um abraçoJoãoDo Miradouro

    20/07/2010 às 05:54

  4. Amigo João Soares, quem conhece a zona, poderá estranhar o actual cenário. Garanto que quem cá vier, não esquecerá nunca o que viu.Isto claro, para os amantes da natureza. Há vários roteiros pedestres por exemplo "a rota do contrabando", são quilómetros de vistas deslumbrantes. No fim aqueles petiscos da zona, restauram as forças perdidas.Quanto ao passado, D.Dinis andou por cá e mandou construir aquele castelo. Dali as armas, bem podiam ter sido aqueles calhaus todos que ilustram as imagens.Caro amigo, teve por certo uma experiência inesquecível nessas provas.Um abraço doJF

    20/07/2010 às 11:39

  5. Meu querido amigo FerreiraQue belas fotos…esqueceu porém os cães dessa zona que são uma beleza!Sim…o lado rústico de então era de se ficar parado observando, em silêncio.Há muito que não passava por aí…fui agora através da sua lente…cuja nitidez reflecte quem observa….quem "repara"!Também vim aqui a esta hora, – 8.15 porque ainda não dormi, para acabar o que ainda faltava na festa e para lhe oferecer a si, um presente daqueles que "a gente" gosta….espero que sirva igualmente o seu paladar…vamos ficar insuflados com tantos doces…Parece que o dia amanheceu de feição. Já vos estou a ver…mas olhe!…cuidado com os malabarismos que os loucos da estrada fazem…Que passe/m um dia em "cheio" e desfrute/m do bom que é sentir/em-se amado/s… felizes.Deixo mais outro abraço de PARABÉNS, se bem que desta vez em tons de azul, cujas hortências colhi especialmente para condizer com o exterior da sua/vossa casa.veja aqui Espero que esta operação fique como imaginei…caso não, envio por mail.Sempre…Mariz

    22/07/2010 às 07:18

  6. José…já vi, ficou bem…agora já posso ir dormir tranquíla.Missões cumpridas!Não posso fazer mais nada…estou longe e não tenho nenhum Mazda…porque nunca conduzi!Abraço fechadoSempre…Carinhosamente…Mariz

    22/07/2010 às 07:20

  7. Amiga Mariz,incansável como já nos habituou.É realmente um prazer receber qualquer comentário seu. Ainda por cima com um presente destes.Sobre as fotos, só vi verdadeiro pastor Castro Laboreiro, por sinal já o tinha retratado há bem pouco tempo. Como foi na estrada e ele estava a trabalhar com o rebanho, não parei, mas cumprimenteio-o.Mariz, descanse que bem o merece, beberemos mais um copo por si.Um abração doJF

    22/07/2010 às 11:23

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s