"Vivências". A falta de palavras serão compensadas pelas imagens. Assim é…espero

Clube de Leitura “Chá com Letras”



Este Clube tão especial, recebeu uma amiga “virtual”.
Carmen Ferreira tinha concorrido ao Concurso de Poesia do Centro de Cultura de Campos. Agora numa breve passagem por Portugal, foi recebida e (re)conhecida, pelo Clube de Leitura.
Maria José Areal, teve oportunidade dar a conhecer e elogiar a primeira obra desta escritora, “Nasci com 35 anos”.
Poderia dizer-se que o virtual se tornou real.

“Chá com Letras” – Recebeu Carmen Ferreira
Anúncios

9 responses

  1. Olá Ferreira, amigo!
    Mais uma das tuas reportagens!
    Que dizer?
    Completas, ricas de conteúdo, imagens saltitantes relembrando os momentos acontecidos.
    As janelas, as tuas janelas, pontos de fuga, sem figir de coisa alguma e lançando o olhar para além do acontecimento. Lá fora a vida é.
    Luz , sombra , pedaços de emoção em tela postas para repasto do olhar e enlevo do coração.
    Obrigada, mesmo!
    MJAreal

    11/11/2011 às 01:03

    • Muitas vezes ao ler um livro, vivemos a história e esquecemos o escritor.
      Palavras escritas, palavras lidas, palavras são palavras. Quando temos a felicidade de conhecer o autor, essas mesmas palavras passam a sentimentos. Carmen Ferreira um dia poderá ser uma top. Tenho a certeza que aquilo que lhe proporcionaram nesta tarde, jamais esquecerá. Eu tive a honra de captar, porque vocês mo deixaram. Agradeço a preferência e fico também reconhecido. O resto, são pormenores que o momento despertou. Maria José eu é que tenho que agradecer.
      Aquele abraço.
      JF

      12/11/2011 às 14:56

  2. Maravilhosas fotos que iluminam cada instante e o eternalizam.
    Bj.

    12/11/2011 às 09:50

    • Espero que sim, é um previlégio (outro) ver nascer algo de muito bom.
      Bj
      JF

      12/11/2011 às 14:57

  3. Pingback: Às sextas na quinta com os amigos « Na_Casa_do_Rau

  4. Magnifica iniciativa y magnifica actividad, son esas cosas que marcan las diferencias en la sociedad y es¡n estos tiempos mucho mas.
    Un abrazo.

    14/11/2011 às 15:20

    • É realmente um previlégio viver neste lugar.
      Temos pessoas que pelas suas iniciativas fazem a diferença.
      Abraço
      JF

      14/11/2011 às 16:06

  5. guma kimbanda

    Olá bom dia Ferreira

    Para mim foi um dia inesquecível, nesta Vila Nova de Cerveira com Gente, humanidade, muito calor humano.
    Iniciativas com o coração e sensibilidade dos que promovem e fazem mexer cultura, a amizade e a confraternização.
    Leitura, debate, palavras que não se esgotam, quando a presença e o estar tomou lugar ao virtual conhecimento que já em si prometia
    A Carmen poetisa e escritora muito querida teve a recepção merecida e com mais esta oportunidade, vê a sua obra a ser lida e apreciada por um leque de pessoas muito mais alargado. E vê assim renovada a vontade de continuar a fazer obra.
    Momentos únicos que sou grato à Dr. Maria – directora da biblioteca, à admirável M. J. Areal, incansável e afectuosa pessoa e aos grandes amigos e anfitriões Ferreira e Ná que foram a ponte, o bonito elo de ligação. Um viva à amizade que possibilita estes acontecimentos.
    A reportagem fotográfica como aqui está muito bem demonstrada, captou momentos de quem tem a sensibilidade do olhar que prevê a beleza do que os outros vão poder a seguir desfrutar. As pessoas, o espaço, a luz, as janelas que nos dizem que depois da partilha há um mundo lá fora onde a nossa satisfação pelo que foi vivido pode dar largas ao contentamento. Assim foi depois informalmente à porta da biblioteca.
    As despedidas são sempre o mais difícil, quando o que temos nos sabe tão bem.
    Meu aplauso estimado Ferreira por esta reportagem muito bem conseguida.

    17/11/2011 às 10:52

    • Meu caro amigo Guma Kimbanda,
      Fico grato por estas palavras tão elogiosas.
      Estou certo que pessoas como tu e a Carmen não existirão muitas. Estou certo que raras vezes se pode dizer que até parecia que já nos conheciamos há muito. Há nestes contactos o sentimento de amizade que é cada vez mais raro (infelizmente) em pessoas que conhecemos através dos “virtuais”.
      O resto, a simpatia das gentes do Minho, ainda é uma realidade. Podes “ver” as razões que nos levaram a trocar uma vida numa grande cidade, pela bela e pacata vida na província.
      Estou convencido que outros momentos como estes acontecerão. Até lá, e como dizem os nossos vizinhos galegos, “até logo”.
      Abraço amigo do
      JF

      17/11/2011 às 19:10

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s