"Vivências". A falta de palavras serão compensadas pelas imagens. Assim é…espero

Mais Recente

27º Folkmonção – galeria



Trilho dos Moinhos – Paredes de Coura

Não fosse o facto de chegarmos tarde ao local de encontro, este trilho por certo, ficaria como outro dos de rara beleza  neste Minho.

Mas na memória destes três caminheiros ficarão alguns episódios que nem o almoço com 45m de atraso apagarão.

Paredes de Coura era conhecida, Castanheira também, Vascões nem por isso.

Descobrimos o local mas com 30m de atraso. O sol era convidativo o traçado estava marcado, vamos, foi aprovado.

Fotos de tudo o que era belo,  não foram poucas. Os moinhos foram aparecendo e ficando registados. As marcações foram seguidas, até que no alto do monte, surgiram dúvidas, moinhos de água no alto do monte?

Oito quilómetros para três, seriam duas horas de caminhada, já íamos com 2h30 e nem casa se avistava.

A chuva caía de quando em vez, ao longe os montes estavam brancos de neve. Ninguém já se lembrava de fazer fotos.

Uma subida daquelas de fazer cair para trás, foi a derradeira. As orações já tinham acabado, a chuva gelada reaparecera e finalmente o asfalto, maldito na maioria das vezes, abençoado agora.

Seguiu-se a marcação, xis para a direita, fomos pela esquerda. Um carro ao fim de 3h de caminhada, uns sinais de pedido de ajuda, mas o desconfiado senhor, em vez de parar, acelarou. Com qual das caras  não encarou?

Mais dois ou três quilómetros sempre a descer, conseguimos fazer parar um motard, aqueles do monte. O nosso destino era o inverso, teríamos que subir o que descemos, depois eram só dois quilómetros.

Mais orações, mais uns cordões desapertados, mais umas bexigas cheias, mais umas chuvadas, era normal. Tudo nos veio à cabeça,  atear um fogo e depois pedir boleia aos bombeiros, foi a última. Mas ninguém tinha lume.

Fez-se luz e o “fiscal”, telefonou ao amigo com um nome do leste. Bombeiro pois claro, as instruções foram claras e precisas. Os dois quilómetros na província têm muito mais metros.

Chegamos ao boguinhas com 30m de atraso mas que é isso quando se  acaba de atravessar o deserto?

As saudades de casa eram tantas…

O almoço com 45m de atraso estava delicioso, as várias botelhas esvaziadas são testemunho da sede passada naqueles montes onde a água predominava, mas sem “controlo”.

Paredes do Coura, nunca mais… até ao próximo.

Fica o agradecimento final a todas as divindades, à marinha (especialmente aos submarinos), ao exército, à aviação, à protecção civil e aos bombeiros. Foram muitas vezes lembrados e só não foram chamados, porque na realidade não conseguiríamos dar a nossa localização.

Trilho dos Moínhos – Paredes de Coura

Biblioteca Municipal de Cerveira – Tertúlia ao Serão Sta. Casa Misericórdia

(Uma réstia de luz refletida naquele poema do Zeca, ilumina um sorriso, de quem tem muito para recordar).

As “Tertúlia ao Serão” da Biblioteca Municipal de Cerveira acolheram alguns dos utentes do Centro de Dia da Sta. Casa de Misericórdia. Música, temas do Zeca Afonso, leitura de um conto e o convívio foram os temas que animaram os presentes.
Os rostos sorridentes, são o garante da importância que têm este tipo de iniciativas.
Parabéns aos organizadores.

Biblioteca Municipal de Cerveira – Centro de dia Sta. Casa Misericórdia

Marina Pacheco&Olga Amaro em Barcelos

O Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos recebeu estas duas encantadoras princesas. Rainhas no talento, no rigor, na beleza e simpatia.
Neste concerto, neste cenário, pode dizer-se que estivemos noutra dimensão. As sensações vividas, devem ser as mesmas que atingem os que vão para o céu do paraíso.
São jovens como estas que nos dão esperança e a certeza que ainda valerá a pena vivermos neste país.
Uma noite que não esquecerei.

Marina Pacheco&Olga Amaro – Barcelos

amff – Concerto Ano Novo em Stª. Luzia


Haverá muitos músicos que se podem congratular, por tocarem em grandes salas deste país.
Há de certeza, muito poucos que podem dizer que tocaram neste templo.
Terminou quase solenemente, este ciclo de “Concertos Natalícios”, oferecidos pela Academia de Música Fernandes Fão. Estou certo que ganharam muitos fãs mas também o reconhecimento do brilhante trabalho na formação de jovens.
Quem já viu, agradece. Quem ainda não o fez, esteja atento à programação e vá ver o que tem perdido.

amff – Concerto Ano Novo Stª. Luzia

Biblioteca Municipal Cerveira – Tertúlia ao Serão


É tão fácil fazer esta “juventude” viver uns momentos de felicidade.
Basta um pouco de música popular, a leitura de uns poemas, contos e o calor do convívio.
A Biblioteca de Cerveira com esta iniciativa, quebra a rotina de alguns dos lares do concelho e desta forma consegue animar estas pessoas, ao fazê-las reviver algumas das tadições do passado.

VNC Biblioteca – Tertúlia ao Serão

amff – “Diário de Bordo”





Ouvir trechos imortais de grandes escritores portuguêses pela voz destes jovens adolescentes, é arrepiante.
O ambiente, foi suberbamente criado para que tudo fosse um só. Literatura, música, juventude, cor, assistência atenta e emoções fortes.
O encenador Pedro Lamares com esta juventude da Academia de Música Fernandes Fão, oferecem-nos na despedida do ano, uma esperança para um futuro, afinal ainda há coisas que valem a pena “viver” neste país.
Mais uma produção diferente, com a enorme qualidade de quem sabe fazer muito bem “amff” e Pedro Lamares.

amff – “Diário de Bordo”